São José dos Campos - SP
12 99142-2028
contato@oakast.com

Lean Canvas

Lean Canvas

Lean Canvas

Volume 26 Nº 4 (2023) REGEM jul 2023

ISSN 2763-8022 (International Standard Serial Number)

por Saulo Carvalho, MSc.
*direitos reservados ©. Texto com liberdade de citação: CARVALHO, S.

Sobre o autor: Mestrado em Gestão e Planejamento | Especialização em Comunicação Empresarial e Marketing. Atuações e consultorias em Gestão e Marketing no Brasil e América Latina.

Lean Canvas

Conceito de Lean Canvas

A Metodologia Lean Canvas é uma ferramenta amplamente utilizada no campo do empreendedorismo e da gestão de negócios. Ela faz parte de um amplo pacote de Metodologias ágeis e se baseia no conceito do Business Model Canvas (BMC) e foi desenvolvida por Ash Maurya como uma abordagem mais enxuta e focada na validação rápida para o processo de prototipação de ideias de negócio.

O Lean Canvas foi projetado para ajudar os empreendedores a criar e iterar modelos de negócio de forma ágil, identificando os principais elementos que influenciam o sucesso de uma empresa.

A origem do Lean Canvas está ligada ao movimento Lean Startup, popularizado por Eric Ries. O Lean Startup enfatiza a criação de produtos ou serviços mínimos viáveis (MVPs) e o aprendizado validado através de experimentação e do processo de Design Thinking.

A partir desses princípios, Ash Maurya desenvolveu o Lean Canvas como uma ferramenta prática para a conceitualização e planejamento de negócios, focando em nove blocos-chave.

Origem do Lean Canvas

Canvas:

O Canvas de origem é fruto do Business Model Canvas (BMC) e foi desenvolvido por Alexander Osterwalder e Yves Pigneur.

É uma ferramenta estratégica amplamente utilizada para desenvolver, descrever e analisar modelos de negócio. Ele foi introduzido pela primeira vez no livro “Business Model Generation” em 2010, escrito por Alexander Osterwalder e Yves Pigneur. O BMC foi projetado para ajudar os empreendedores e gestores a visualizar e comunicar todos os elementos-chave de um modelo de negócio de forma clara e concisa.

O BMC consiste em um quadro visual dividido em nove blocos principais:

Canvas

Segmentos de Clientes: identifica os diferentes grupos de clientes que o negócio pretende atender.

Oferta ou proposta de Valor: descreve os produtos ou serviços oferecidos e como eles criam valor para os clientes.

Canais: define os canais de distribuição e comunicação utilizados para alcançar e se relacionar com os clientes.

Relacionamento com Clientes: descreve o tipo de relacionamento estabelecido com cada segmento de cliente.

Fontes de Receita: enumera as diferentes formas pelas quais o negócio gera receita a partir de seus produtos ou serviços.

Recursos-Chave: identifica os recursos necessários para operar o modelo de negócio com sucesso.

Atividades-Chave: lista as atividades principais que a empresa deve realizar para entregar sua proposta de valor.

Parcerias-Chave: identifica as parcerias estratégicas que a empresa estabelece para alcançar seus objetivos.

Estrutura de Custos: relaciona os custos associados à operação do modelo de negócio.

O BMC é projetado para ser preenchido de forma colaborativa e iterativa, permitindo que a equipe de empreendedores ou gestores analise e ajuste os componentes-chave do modelo de negócio. Ele ajuda a identificar oportunidades de melhoria, explorar novas ideias e compreender melhor a interconexão entre os elementos.

Uma das principais vantagens do BMC é a sua simplicidade visual, que facilita a comunicação e o entendimento do modelo de negócio por todas as partes interessadas. Além disso, sua abordagem flexível e iterativa permite que o modelo seja ajustado à medida que a empresa aprende com a experiência e obtém feedback dos clientes.

Portanto, o Business Model Canvas é uma ferramenta valiosa para descrever e analisar modelos de negócio de forma clara e concisa, permitindo uma compreensão abrangente de como uma empresa cria, entrega e captura valor.

Blocos do Lean Canvas

A partir do BMC de Osterwalder  e Yves Pigneur, Ash Maurya propõe nove blocos do Lean Canvas. São os seguintes:

Segmentos de Clientes: identifica os grupos de clientes que serão atendidos pelo negócio.

Problemas: descreve os problemas ou necessidades que os clientes enfrentam e que o negócio pretende resolver.

Soluções: apresenta as soluções propostas para atender aos problemas identificados.

Canais: define os canais de distribuição e comunicação que serão utilizados para alcançar os clientes.

Atividades-Chave: enumera as atividades principais necessárias para entregar o valor proposto aos clientes.

Recursos-Chave: lista os recursos necessários para implementar as atividades-chave.

Parcerias-Chave: identifica as parcerias estratégicas que podem ser estabelecidas para impulsionar o sucesso do negócio.

Estrutura de Custos: relaciona os custos envolvidos na operação do negócio.

Fontes de Receita: descreve as diferentes formas pelas quais o negócio irá gerar receita.

Assim como o BMC, aplicação da Metodologia Lean Canvas envolve a criação de um quadro visual no qual os empreendedores podem preencher cada um dos blocos mencionados acima. O objetivo é analisar cada elemento do modelo de negócio e iterar e reiterar rapidamente, com base em feedbacks e validação, com clientes reais.

Para ilustrar sua aplicação, vamos considerar um exemplo prático. Suponha que um empreendedor queira criar um aplicativo de entrega de alimentos saudáveis. Usando o Lean Canvas, ele preencheria o Segmento de Clientes com “Pessoas ocupadas que desejam comer de forma saudável”, identificando assim seu público-alvo.

Em seguida, ele preencheria o bloco de Problemas com “Falta de tempo para cozinhar refeições saudáveis” e Soluções com “Entrega rápida de refeições saudáveis preparadas por chefs”.

Nos blocos de Canais e Atividades-Chave, ele poderia listar “Aplicativo móvel” e “Preparação de refeições, logística de entrega” respectivamente. Para Recursos-Chave, poderia ser “Cozinha, equipe de chefs, motoristas de entrega” e em Parcerias-Chave, “Parceria com produtores locais de alimentos orgânicos”.

Nos blocos de Estrutura de Custos e Fontes de Receita, o empreendedor poderia detalhar os custos relacionados à operação do negócio, como ingredientes, equipe, logística, marketing, e estabelecer fontes de receita, como taxas de entrega e comissões de vendas.

Ao preencher todos os nove blocos, o empreendedor terá uma visão abrangente do modelo de negócio proposto. Ele poderá então, buscar validação através de testes e feedbacks de potenciais clientes (através de protótipos), ajustando e refinando o Lean Canvas conforme necessário.

A Metodologia Lean Canvas é uma abordagem prática e ágil para o planejamento e validação de modelos de negócio e, assim como o BMC, deve ser construída em grupos colaborativos de pessoas. Ao utilizar essa ferramenta, os empreendedores podem identificar e testar rapidamente os elementos-chave de suas ideias de negócio, aumentando suas chances de sucesso no mercado.

Lean Canvas

Mais exemplos:

Exemplo 1: Plataforma de Educação Online

Segmentos de Clientes: Estudantes universitários e profissionais em busca de educação contínua.

Problemas: Dificuldade em acessar cursos de qualidade a preços acessíveis.

Soluções: Plataforma online que oferece cursos ministrados por especialistas em diferentes áreas.

Canais: Website, aplicativo móvel e parcerias com instituições educacionais.

Atividades-Chave: Desenvolvimento de conteúdo, marketing digital e suporte ao aluno.

Recursos-Chave: Equipe de especialistas, plataforma tecnológica e conteúdo educacional.

Parcerias-Chave: Parcerias com universidades e especialistas em diversas áreas.

Estrutura de Custos: Desenvolvimento de conteúdo, marketing, tecnologia e suporte.

Fontes de Receita: Venda de cursos, assinaturas premium e parcerias publicitárias.

Exemplo 2: Serviço de Entrega de Roupas sob Medida

Segmentos de Clientes: Consumidores que desejam roupas personalizadas e de qualidade.

Problemas: Dificuldade em encontrar roupas que se ajustem perfeitamente ao corpo.

Soluções: Serviço de medição e confecção de roupas sob medida, entregues diretamente aos clientes.

Canais: Loja online, atendimento personalizado e parcerias com estilistas.

Atividades-Chave: Agendamento de medições, confecção de roupas e logística de entrega.

Recursos-Chave: Equipe de costureiros, tecidos de qualidade e sistema de medição preciso.

Parcerias-Chave: Parcerias com estilistas renomados e fornecedores de tecidos.

Estrutura de Custos: Materiais, mão de obra, marketing e logística.

Fontes de Receita: Venda de roupas sob medida, taxas de medição e serviços adicionais (ajustes, estilização).

Exemplo 3: Aplicativo de Aluguel de Bicicletas Elétricas

Segmentos de Clientes: Residentes urbanos e turistas que desejam uma opção de transporte sustentável.

Problemas: Trânsito congestionado, dificuldade em encontrar estacionamento e preocupações ambientais.

Soluções: Aplicativo que permite o aluguel de bicicletas elétricas por curtos períodos de tempo.

Canais: Aplicativo móvel, estações de aluguel estrategicamente localizadas e parcerias com empresas de turismo.

Atividades-Chave: Manutenção das bicicletas, reposição das estações de aluguel e atendimento ao cliente.

Recursos-Chave: Frota de bicicletas elétricas, estações de aluguel e equipe de manutenção.

Parcerias-Chave: Parcerias com prefeituras, empresas de turismo e fabricantes de bicicletas elétricas.

Estrutura de Custos: Manutenção das bicicletas, operação das estações, marketing e suporte ao cliente.

Fontes de Receita: Taxas de aluguel por tempo, parcerias publicitárias e assinaturas premium.

Esses exemplos demonstram como a Metodologia Lean Canvas pode ser aplicada em diferentes contextos de negócios, ajudando os empreendedores a definir os principais aspectos de seus modelos de negócio de forma clara e concisa.

Diferenças entre Lean Canvas e BMC (Canvas)

Principais diferenças entre o Lean Canvas e o Business Model Canvas:

Os 9 blocos presentes no Business Model Canvas são: Segmentos de Clientes, Proposta de Valor, Canais, Relacionamento com Clientes, Fontes de Receita, Recursos-Chave, Atividades-Chave, Parcerias-Chave e Estrutura de Custos.

Os 9 blocos do Lean Canvas são: Segmentos de Clientes (segmentos de clientes no CAVAS), Problemas (parceiros chave no CANVAS), Soluções (atividades-chave no CANVAS), Canais (canais no CANVAS), Métricas-Chave (recursos chave no CANVAS), Recursos-Chave, Parcerias-Chave, Estrutura de Custos e Fontes de Receita.

Lean Canvas

Foco na validação: O Lean Canvas foi desenvolvido com um foco maior na validação rápida de ideias de negócio. Ele visa ajudar os empreendedores a identificar os principais elementos do modelo de negócio e testá-los com clientes reais, com o objetivo de iterar e ajustar rapidamente. Por outro lado, o Business Model Canvas é mais voltado para a descrição e análise do modelo de negócio como um todo, sem um enfoque tão direto na validação rápida.

Blocos simplificados: O Lean Canvas adapta alguns blocos do Business Model Canvas mantendo informações cruciais para a concepção e validação do modelo de negócio.

Isso torna o Lean Canvas mais conciso e direcionado, facilitando o preenchimento e a comunicação das informações essenciais.

Ênfase nas soluções: Enquanto o Business Model Canvas coloca ênfase na Proposta de Valor, o Lean Canvas se concentra mais nas Soluções propostas para resolver os problemas identificados pelos clientes. Isso reflete a natureza ágil e iterativa do Lean Canvas, encorajando os empreendedores a focar em encontrar soluções viáveis rapidamente.

Orientação para startups e empreendedorismo: O Lean Canvas é frequentemente utilizado por startups e empreendedores que buscam criar e validar novos modelos de negócio. Ele é especialmente útil em ambientes de incerteza, onde a iteração rápida e a validação são cruciais. Por outro lado, o Business Model Canvas é mais amplamente utilizado por empresas estabelecidas e pode ser aplicado para análise e planejamento de modelos de negócio existentes.

Em suma, enquanto o Business Model Canvas é uma ferramenta mais abrangente para descrever e analisar modelos de negócio, o Lean Canvas é uma abordagem mais enxuta e focada na validação rápida de ideias de negócio. O Lean Canvas busca direcionar a uma ênfase maior nas soluções propostas, tornando-o especialmente adequado para startups e empreendedores que buscam validar suas ideias no mercado.

É fundamental lembrar-lhe, que quaisquer modelos Canvas são abertos para inovação e reinventação de seus blocos e seus objetivos, de acordo com as estratégias de cada organização, necessidades de projetos específicos e segmentos de mercado! Você é livre para reinterpretá-lo!

E você? Já criou seu próprio Lean Canvas? 

 
Citação a CARVALHO, S. 

Saulo Carvalho é Mestre em Gestão e Planejamento (UNITAU) stricto-sensu. Pós-Graduado em Comunicação e Marketing Empresarial (UMESP) lato-sensu, Graduado em Administração de Marketing (UMESP). Admitido em regime especial ao Doutorado sobre Pesquisa Operacional (ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica e Universidade Federal de São Paulo).

Consultor empresarial com atuações no Brasil e América Latina. Ministra disciplinas de Administração, Marketing, Pesquisa e Planejamento Estratégico aos cursos superiores de Administração, Marketing e Engenharia. É pesquisador sobre Gestão, Marketing e Ambiente Econômico. Desenvolve e aplica pesquisas científicas sobre Gestão e Marketing.

LEIA OS TERMOS DE USO ©

Referências

MAURYA, Ash. (2012), Running Lean: Iterate from Plan A to a Plan That Works. O’Reilly Media.

OSTERWALDER, Alexandre; PIGNEUR, Yves. (2011), Business Model Generation: Inovação Em Modelos De Negócios. Alta Books.

 

Nenhum comentário

Adicione seu comentário